sábado, 5 de setembro de 2015

Boneca "Ana e o Gato"




Tenho sentido falta de passar por aqui e postar fotos dos meus trabalhos... mas, a correria anda me prendendo diante da máquina de costura! 
Com isso, novidades acabam "nascendo" e eu, quando encontro um tempinho, volto aqui no blog para mostrar um pouquinho do que acontece quando estou longe.
Nessa semana, depois de um tempo de dedicação e muito amor, finalizei a bonequinha "Ana e o Gato", que foi criada especialmente para homenagear minha sobrinha-neta Ana Flávia (que é um docinho de criança, com cinco anos de idade).
Junto dessa primeira boneca, vem uma coleção de mais cinco, com nomes e temas diferentes. Tudo está sendo criado com muito carinho e muita atenção aos detalhes. Espero que gostem e que comentem, ok? Até a próxima bonequinha!

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Mega Artesanal 2015


No Stand, com a equipe mais charmosa da Mega!


Reunidas na entrada da feira, para recepcionar as visitantes


Eu, com minha boneca "Lizzie Bennet" (Orgulho e Preconceito)


Com meus queridos, Thaís eThiago (nosso "Mr. Darcy")


Com minha querida e talentosa Valéria Amaral!


Eu, representando a escritora "Jane Austen", enquanto caligrafava
marcadores de páginas para os convidados da feira


Dando aula de pintura do rosto da boneca, para minha querida Thaís Abdalla


Visita mais que importante!!!! Minha querida "sorella" Maria, que veio de Napoli (Itália) para me conhecer pessoalmente!!!!!


Foi muito bom participar dessa feira tão gigantesca, a convite da minha querida bonequeira Millyta!
Foi um evento diferente, onde homenageamos a escritora inglesa "Jane Austen". Todas as bonecas, aulas, enfeites... tudo foi um passaporte para a época da Regência, na Inglaterra. Nossos figurinos (feitos com muito carinho pelas alunas da FMU - SP) arrasaram na fidelidade dos detalhes!
Recebi visitas no stande que me deixaram extremamente feliz!!!! Foram tantas visitinhas de surpresa!!! Pessoas amadas que viajaram para SP simplesmente para me dar um abraço, me presentear com um carinho, bombonzinhos e amor!
Recebi visitas de Vinhedo, Santos, Mogi das Cruzes, Bahia, SP, Campinas... e, acreditem, até mesmo de Napoli, Itália!!!!!
Foram dias cansativos e puxados... muito trabalho, muitas aulas para dar, muitos contatos de trabalho. Mas, a alegria disso tudo foi a sensação de levar felicidade através das minhas bonecas!
Hoje, só tenho a agradecer! Deus tem sido maravilhoso com minha vida!
E agora, enquanto descanso, estou aqui pensando em tudo isso. No tamanho de todo esse acontecimento... E por isso, em breve, muitas novidades acontecerão, porque as idéias não param de crescer dentro da alma!
Aguardem!!!!!

Logo estarei de volta com muita coisa boa pra contar!!!!!

sábado, 30 de maio de 2015

Viagem ao Nordeste (parte 2)

Embora eu não tenha fotos de João Pessoa Paraíba), foi um deleite passear por lá por algumas horas! O tempo estava fechado, mas mesmo assim, foi gratificante andar novamente por aquelas ruas molhadas de chuva...
Em João Pessoa, o resgate foi com a saudade. Estive passeando por suas ruas há alguns anos atrás, acompanhada de Andhiara e William (sobrinhos mais que amados e companheiros de viagens!). E, mais uma vez, a cidade me abraçou e reconquistou meu coração!
Rendas lindas demais! Almoço com vista para o mar... passeios risonhos com vista para um pedaço da história.
Telhados velhinhos.
Casarões pintados de cores variadas, mas com uma única alma.
Estrada. Outra vez.
De volta a Recife.

domingo, 24 de maio de 2015

Viagem ao Nordeste (parte 1)


Passear pelo Brasil me faz sentir um imenso resgate. É como partir em busca de uma identidade, pois em cada região eu acabo me identificando com um pouco de cada costume.
Chegar em Recife e receber abraços de boas vindas é algo que enche a alma de calor! Ficar hospedada numa casa nordestina e viver o dia a dia dela me faz amar ainda mais o meu país!
Uma das coisas que gosto quando viajo, é exatamente fazer as viagens internas. Sair de Recife e ir até Olinda é uma adorável e colorida experiência!
"Adorável" porque o caminho é lindo e a conversa com a querida amida Zuleide (a quem chamo carinhosamente de "Mainha") é das mais maravilhosas, pois ela é Doutora em Literatura e enche meu coração de histórias!
"Colorida" porque quando se entra na cidade de Olinda, as casinhas cheias de cores gritam para que nossa alegria venha do fundo da alma!
Cores e ladeiras.
Gente. Artesanato. Tapioca.
Renda Renascença e rendeiras com histórias para contar.
Brasil perfeito, com cheiro de maresia e sol.
Sair de Olinda após um dia quente de passeio, é deixar o coração curioso, querendo saber a data de voltar...
Viajar.
Alma feliz e acolhida

Imagem linda de Olinda!

Cores das ruas!
Eu e "Mainha", comendo deliciosas tapiocas!!!!
Cores da minha bandeira!

domingo, 12 de abril de 2015

Românticas!!!!


E continuam "nascendo"!!!! Mais bonequinhas lindas, pintadas com carinho e muita sensibilidade, para que tenham personalidade e brilho!
A coleção estará pronta em meados de Junho, mas, enquanto isso, vou postando um pouquinho de tudo o que vem acontecendo no ateliê! Espero que gostem! O tema será lindo e tudo uma grande e doce surpresa!!!! Comentem!!!!!!

Criando novos rumos!




Isso se aplica a tudo... no dia a dia, no trabalho, nas viagens...
Por esses dias, eu decidi que queria bonecas diferentes, com mais trabalho, tipo aquelas que demoram dias para ficarem prontas! Então, depois de muitos esboços, ideias rabiscadas nas agendas, nos guardanapos de papel, me apareceram algumas "carinhas" lindas na mente!
E fui tentando, borrando, riscando torto, apagando, descartando... e as expressões começaram a se firmar, a aparecer de vez no meu coração!
E elas foram ganhando vida e ganhando alma.
Bonequinhas que mudaram meu rumo. Pinturas à mão no rostinho. Pinturas brilhantes feitas com o coração.
E só tenho algumas por enquanto...
Mas, as ideias fervem de tanto amor! E novas bonequinhas estão chegando, novas estradas para minha criatividade!

E, enquanto isso, vou deixar uma dica: "Aguardem!" - porque tem tantas novidades por aqui!"!!! Nova fase! Novos rumos!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Mais "Tildices" por aqui!


Fico feliz por já poder retomar minhas costurices, por poder passar mais tempo sentada sem sentir dores no quadril! Graças a Deus, a cirurgia foi um sucesso, e agora, após 3 meses, aqui estou eu, de volta à minha máquina de costuras e com a agenda lotada de novo!!!!
Aproveitei o Carnaval para cortar tecidinhos, dar laços e aplicar cabelinhos... o saldo disso foram quatro novas bonequinhas (já estavam encomendadas e tive que interromper o processo no final do ano passado, por conta do "episódio" do quadril).
Costurar e criar novos modelinhos de bonecas, faz com que meu coração se transforme! Passo horas desenhando vestidos, sapatinhos e pensando até mesmo nos nomes e características de cada uma.
Todas essas lindezas já estão seguindo viagem para suas novas casas! Mas, a bancada já está cheia de novos moldes, e a lista de entregas começou a crescer de novo!
Portanto, mesmo na correria, passei por aqui para deixar as fotos dessas Tildinhas. Espero que gostem e deixem seus comentário!!! Até!!!















sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

2° Festival de Bonecas de Campos do Jordão



Apesar de ser Fevereiro (vésperas do Carnaval!), a cidade de Campos do Jordão nos recebeu com um friozinho com cara de inverno! Neblina, chuva gelada e muito chocolate quente para comemorar mais um Festival de Bonecas, promovido pelo programa "Ateliê na TV"!
Eu e minha amiga bonequeira, Andreia Kussaba, levamos para nossas alunas (de muitos lugares do Brasil!) um projetinho encantador, de uma boneca Fadinha, cheia de graça e alegria!
As aulas se iniciaram no dia 2 e terminaram no dia 5. Foram dias de muita correria, de muita festa, contatos maravilhosos e novas amizades!
Dotan comandou tudo, mais uma vez, com muito sucesso e competência! Os dias de cursos deixaram o maravilhoso hotel "Orotour" repleto de barulhinhos de máquinas de costura à todo vapor, além de muitas bonecas lindas fazendo as alunas muito felizes.







Eu e Vivi Prado

Com meu querido amigo Cleber Alves

Andreia Kussaba, com sua bonequinha miniatura

Andreia Kussaba, Millyta e eu. Ganhamos esses mimos de bonecas
 dessa bonequeira maravilhosa!!!!


Sempre que Andreia me convida para ser sua assistente nesses festivais, fico muito feliz, porque é gratificante ver a satisfação das nossas alunas, ver bonequinhas nascendo e sentir todo o carinho que levam para nós duas!
Além de muito trabalho, também tivemos a oportunidade de encontrar bonequeiras muito queridas, como Vivi Prado, Millyta, Silvia Torres e muitas outras! Dotan esteve o tempo todo conosco, fazendo com que o trabalho parecesse um deliciosos encontro, com momentos de muitas realizações para todos os profissionais envolvidos nesse enorme projeto!
Mais um Festival de Bonecas!!!!
E que venha o próximo!!!!

(Meus agradecimentos à querida amiga Andreia Kussaba)








sábado, 31 de janeiro de 2015

Em busca de Michelangelo








Michelangelo Buonarrote
Sempre que via fotos dos trabalhos de Michelangelo nos meus livros de arte, ficava indagada com a figura de "David". É estranho como essas sensações nos envolvem desde sempre... eu me lembro dessas sensações desde que era muito criança...
Eu sou uma pessoa que, quando fica diante de uma obra desse porte, tem todos os tipos de reações (no corpo e na alma!). Fico parada, perplexa, divagando em pensamentos que misturam uma torrente de calafrios, felicidade, choro, angústia e até mesmo uma imensa vontade de gritar! Não! Não se assustem! Isso é natural para quem ama a história que arte conta...
Ver "David" pela primeira vez, há uns cinco anos atrás, me fez sentir falta de ar em plena Galleria dell' Accademia, em Firenze (Toscana). Eu tremi, chorei e tive uma crise perfeita de euforia! (procurem no Google por "Síndrome de Stendhal"!!!).
E assim, depois de conhecer o gigantesco bloco de mármore em forma de "Perfeição", passei a seguir todos os passos de Michelangelo, perseguindo sua história, tentando descobrir seu cotidiano fiorentino e, quem sabe, encontrá-lo em algum canto de Firenze...
Todas as vezes que volto à Toscana, a minha necessidade de encontrar rastros desse artista se torna maior. Vou buscando informações pelos museus, livros, sonhos, ruas minúsculas e medievais que levam sempre aos cantos prováveis por onde ele andou. (será que hoje você vira essa esquina?)...
Na segunda visita ao rei "David", eu consegui conter a emoção e me sentei em frente a ele. Desenhei por horas, estudei as mãos, os pés, as veias de mármore que parecem pulsar e fazer o belo rapaz explodir o bloco de mármore que o prende há tantos séculos!
E voltei mais uma vez e outra vez.

Na última visita, no ano passado, minha felicidade se intensificou ao descobrir que as fotos estão liberadas dentro da Galleria dell' Accademia (sem flash, é claro!). E então, após respirar fundo e puxar com o ar a minha alma, fiz algumas fotos de uma das mais lindas obras que o mundo já teve! E eu sentia a aprovação de Michelangelo, porque ele sabia que um dia eu o encontraria. E ele estava lá, o tempo todo... cuidando de sua criatura, como todo bom Mestre deve fazer.

(Michelangelo iniciou a escultura de "David" em 1501, na cidade de Firenze, Toscana - Itália)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Sob o Sol da Toscana (Cortona)

Pequena muralha em Castiglion Fiorentino (ponto de ônibus)

Ponto de ônibus 


 Vista pela janelinha do ônibus (Cortona)


Muralha (Castiglion Fiorentino)


A manhã daquele dia de setembro parecia propícia para sairmos em busca de um novo lugar, de uma nova cidade. Nosso trem para Arezzo partiu pontualmente da estação de Santa Maria Novella, em Firenze.
Já fazia tempo que eu tinha essa vontade de conhecer Cortona, pois havia visto num livro, textos maravilhosos a seu respeito, onde a autora descrevia uma linda "piazza" onde os habitantes tinham ali uma vida de convivência e cotidiano.
Como todas as viagens se tornam aventuras quando não estamos em nosso país, é claro que não foi tão simples chegar em Cortona... Na estação de Arezzo, a moça do balcão de informações nos disse para irmos até uma pequena praça, onde teríamos informações específica (aqueles postos, de ajuda aos turistas). Lá, fomos informadas que um ônibus sairia "direto" para Cortona, mas que teríamos que andar bem rápido por conta do horário.
Chegamos ao pequeno terminal, mas a placa de informações não nos contava absolutamente nada sobre o ônibus que esperávamos... O sol estava quente, os alunos de uma escola próxima estavam se aglomerando no ponto por conta do horário de saída. Todos entravam em seus ônibus e partiam felizes para suas casas. Nós não...
Finalmente um garoto brasileiro (estudante e morador de Arezzo), nos informou que não havia um ônibus que fosse direto para nosso desejado destino. Descobrimos que teríamos que ir até um lugar chamado Castiglion Fiorentino, onde trocaríamos de ônibus para chegarmos em Cortona.
Entramos e o motorista nos disse que teríamos que comprar os bilhetes na rua (lá eles são vendidos em tabacarias, bancas de jornal...), mas que nos levaria sem cobrar e que na volta poderíamos entregar o bilhete a ele. Achamos engraçado, mas seguimos viagem mesmo assim.
Em Castiglion Fiorentino, tivemos que esperar por muito tempo pelo nosso ônibus. A espera foi compensada pela paisagem, pois os pontos eram distribuídos na extensão de uma pequena muralha, onde estudantes e alguns turistas aguardavam seus horários de partida.
Finalmente entramos no nosso ônibus! Curtimos cada visão da paisagem da estradinha sinuosa, ladeada pelos típicos pinheiros verde escuro da Toscana.
O encantamento foi aumentando conforme subimos pela estrada. Castelos, vilarejos, céu azul... e ao lado direito da estrada, podíamos ver a linda Cortona, encravada na montanha, subindo até o topo!
Chegamos e nos encantamos com a grande muralha etrusca!!!! Maravilhosa, cheia de respeito e história. Nos dirigimos até o portão principal da muralha e, surpresas, olhamos assustadas para o tamanho da ladeira que teríamos que subir para chegarmos ao núcleo principal da cidade!
Na ocasião, eu e Susi estávamos, coincidentemente, passando por um momento difícil, onde dores pelo corpo nos deixavam desanimadas, mesmo estando num dos mais lindos lugares do mundo... Minha amiga estava parada, olhando a rua reta que subia... ("e agora"?)...







Susi, encantada com a loja de materiais para caligrafia e encadernação!

Enfim, depois de muitas paradinhas para descanso, vontade de voltar e até mesmo algumas lágrimas de dor, subimos e chegamos ao alto da ladeira, de onde olhamos para baixo e, além, de vermos tudo o que havíamos subido, fomos presenteadas por uma paisagem perfeita!
A rua "reta" e principal partia de uma piazza larga (Piazza Signorelli), movimentada e ladeada de lojinhas, floricultura, mercadinho e ruas que nasciam ali. Ficamos paradas por um tempo, olhando, retomando o fôlego e admirando.
Andamos lentamente, olhando tudo com carinho, fotografando os cantinhos, as escadarias, os noivos que caminhavam sossegadamente para o fotógrafo registrar o momento mágico deles. Fomos até o fim da rua reta e paramos para um gelato, para um brinde à nossa subida, à nossa cidadezinha valiosa, etrusca e linda.
Voltamos ao início da rua e almoçamos um delicioso macarrão com trufas valiosas. Trufas douradas e negras. Trufas iguaizinhas às do livro que li e que descrevia tão fielmente aqueles sabores que estávamos experimentando.








As dores no meu quadril pareciam esquentar cada vez mais... doía até chegar na alma, mas naquele momento eu só conseguia agradecer a Deus por me permitir contemplar tanta beleza! As dores ficaram guardadas no fundo da bolsa. Cortona estava alí e eu não podia nem pensar em sentir dores!


Partimos mais uma vez por nossa ruazinha movimentada. Fomos até um mirante, onde o grande vale se estendia até o infinito.Céu azul. Sol quente e toscano.
Susi estava encantada pelos telhados antigos, pela vista que parecia um mar de telhados que contavam a história do tempo. Fotografamos tudo o que encontramos e que nos encantou. Nosso ânimo foi renovado e passeamos pelo resto da tarde.










Tentamos adiar a volta, mas o ônibus tinha horário fixo e, portanto, tivemos que deixar a cidadezinha etrusca para trás... Compramos os bilhetes para o ônibus (sem esquecermos daqueles que ficamos devendo, é claro) e descemos nossa ladeira, quase que sem palavras na boca... descemos prometendo voltar...















Entramos no ônibus que nos levaria até Castiglion Fiorentino, mas descobrimos que ele iria direto para Arezzo. A viagem de volta foi confortante e cheia de novas fotos. A estradinha foi se tornando escura e linda com as silhuetas dos pinheiros. Os grandes abismos pareciam sonhos. A estrada nos convidou a voltarmos numa próxima vez. Aceitamos.
Chegamos em Firenze à noite. Seguimos caladas até nosso pequeno hotel. Dia perfeito. Dia em Cortona. Sob o sol da Toscana.
Saudades desse dia. Saudades dessa alegria.